Um Curso
em Milagres

Edição online autorizada
Livro de Exercícios

LIÇÃO 154

Eu estou entre os ministros de Deus.

1. 1Que hoje não sejamos nem arrogantes nem falsamente humildes. 2Já fomos além de tais tolices. 3Não podemos nos julgar e nem precisamos fazê-lo. 4Essas são apenas tentativas de evitar a decisão e adiar o comprometimento com a nossa função. 5A nossa parte não é julgar o nosso valor, nem podemos saber qual é o melhor papel para nós; o que podemos fazer dentro de um plano maior, nós não podemos ver inteiramente. 6O nosso papel é definido no Céu, não no inferno. 7E o que pensamos ser fraqueza pode ser força, o que acreditamos ser a nossa força frequentemente é arrogância.

2. 1Qualquer que seja o papel que te foi designado, foi selecionado pela Voz por Deus, Cuja função é a de falar por ti também. 2Vendo as tuas forças exatamente como são e também ciente de onde podem ser melhor aplicadas, para que, para quem e quando, Ele escolhe e aceita o teu papel por ti. 3Ele não trabalha sem o teu próprio consentimento. 4Mas não Se engana quanto ao que tu és e só escuta a Sua Voz em ti.

3. 1É através da Sua capacidade de ouvir uma única Voz que é a Sua Própria, que tu vens a ser enfim ciente de que há uma única Voz em ti mesmo. 2E aquela única Voz te designa a tua função e a entrega a ti, dando-te forças para compreendê-la, fazer o que ela acarreta e ter sucesso em tudo o que fazes que seja relacionado com ela. 3Deus uniu-Se ao Seu Filho nisso e assim o Seu Filho vem a ser o Seu mensageiro, o mensageiro da unidade com Ele.

4. 1É essa união do Pai e do Filho, através da Voz por Deus, que coloca a salvação à parte do mundo. 2É essa Voz que fala de leis que o mundo não obedece, que promete a salvação de todo pecado abolindo a culpa na mente que Deus criou sem pecado. 3Agora essa mente vem a ser outra vez ciente Daquele Que a criou e da Sua união duradoura consigo mesma. 4Assim, o seu Ser é a única realidade em que a sua vontade e a Vontade de Deus estão unidas.

5. 1Um mensageiro não é aquele que escreve a mensagem que entrega. 2Tampouco questiona o direito daquele que o faz ou pergunta por que escolheu aqueles que receberão a mensagem que traz. 3Basta que a aceite, a dê àqueles a quem se destina e cumpra o seu papel na entrega da mensagem. 4Se determina quais devem ser as mensagens ou a que propósito servem ou para onde devem ser levadas, está falhando em desempenhar o seu papel como portador do Verbo.

6. 1Há uma diferença principal no papel dos mensageiros do Céu, que os distingue daqueles designados pelo mundo. 2As mensagens que entregam são dirigidas em primeiro lugar a eles mesmos. 3E é só na medida em que possam aceitá-las para si mesmos, que vêm a ser capazes de levá-las adiante e dá-las em todos os lugares a que eram destinadas. 4Como os mensageiros terrestres, eles não escreveram as mensagens que trazem consigo, mas vêm a ser os seus primeiros destinatários no sentido mais verdadeiro, recebendo a fim de prepararem-se para dar.

7. 1Um mensageiro terrestre cumpre o seu papel dando todas as suas mensagens. 2Os mensageiros de Deus desempenham o seu papel com a própria aceitação das Suas mensagens para si mesmos e mostram que as compreendem dando-as aos outros. 3Eles não escolhem papéis que não lhes tenham sido dados por Sua autoridade. 4E assim ganham com cada mensagem que dão.

8. 1Tu queres receber as mensagens de Deus? 2Pois é assim que vens a ser o Seu mensageiro. 3Tu és designado agora. 4No entanto, esperas para dar as mensagens que tens recebido. 5E assim não sabes que são tuas e não as reconheces. 6Ninguém pode receber e compreender que recebeu até que tenha dado. 7Pois no ato de dar está a sua própria aceitação do que recebeu.

9. 1Vós, que sois agora os mensageiros de Deus, recebei as Suas mensagens. 2Pois isso faz parte do papel que vos foi designado. 3Deus não falhou em oferecer o que vós precisais e nem isso deixou de ser aceito. 4Entretanto, uma outra parte da tarefa que vos foi designada ainda está por ser realizada. 5Aquele Que recebeu as mensagens de Deus por vós quer que elas sejam recebidas também por vós. 6Pois assim vós vos identificais com Ele e reivindicais o que vos pertence.

10. 1É o reconhecimento dessa união que empreendemos hoje. 2Não buscaremos manter as nossas mentes à parte Daquele Que fala por nós, pois é apenas a nossa voz que ouvimos ao prestarmos atenção a Ele. 3Só Ele pode falar a nós e por nós, unindo em uma única Voz o ato de receber e dar o Verbo de Deus, o dar e receber a Sua Vontade.

11. 1Praticamos dar a Ele o que Ele quer ter para que possamos reconhecer as Suas dádivas para nós. 2Ele precisa da nossa voz para que possa falar através de nós. 3Precisa de nossas mãos para portar as Suas mensagens e levá-las àqueles que Ele designa. 4Precisa de nossos pés para nos trazer para onde é Sua Vontade que estejamos, para que aqueles que esperam na miséria possam enfim ser libertados. 5E Ele precisa das nossas vontades unidas à Sua, para que possamos ser os verdadeiros receptores das dádivas que Ele nos dá.

12. 1Aprendamos hoje apenas esta lição: nós não reconheceremos aquilo que recebemos até que o tenhamos dado. 2Já ouviste isso ser dito em centenas de maneiras, centenas de vezes e, no entanto, a tua crença ainda está faltando. 3Mas isso é certo; até que venhas a acreditar nisso, receberás mil milagres e depois mais mil, mas não saberás que o Próprio Deus não guardou nenhuma dádiva além daquelas que já tens e tampouco negou a menor das bênçãos ao Seu Filho. 4O que isso pode significar para ti, enquanto não tiveres te identificado com Ele e com o que Lhe é próprio?

13. 1A nossa lição para o dia de hoje é declarada assim:

2Eu estou entre os ministros de Deus, e sou grato por ter os meios de reconhecer que sou livre.

14. 1O mundo retrocede à medida que iluminamos nossas mentes e reconhecemos que essas santas palavras são verdadeiras. 2Elas são a mensagem que nos foi enviada hoje pelo nosso Criador. 3Agora, demonstramos como elas mudaram as nossas mentes a respeito de nós mesmos e de qual é a nossa função. 4Pois, ao provarmos que não aceitamos nenhuma vontade da qual não compartilhamos, as muitas dádivas do nosso Criador surgirão à nossa vista e saltarão às nossas mãos, e nós reconheceremos o que recebemos.