Um Curso
em Milagres

Edição online autorizada
Livro de Exercícios

LIÇÃO 166

As dádivas de Deus me são confiadas.

1. 1Todas as coisas te são dadas. 2A confiança de Deus em ti é sem limites. 3Ele conhece o Seu Filho. 4Ele dá sem exceções, sem nada guardar que possa contribuir para a tua felicidade. 5E, no entanto, a menos que a tua vontade seja una com a Sua, as Suas dádivas não são recebidas. 6Mas o que te faria pensar que há outra vontade que não A de Deus?

2. 1Aqui está o paradoxo sobre o qual se baseia a feitura do mundo. 2Esse mundo não é a Vontade de Deus e assim não é real. 3Entretanto, aqueles que pensam ser ele real, ainda não podem deixar de acreditar que existe outra vontade que conduz a efeitos opostos àqueles que são a Sua Vontade. 4Isso, na verdade, é impossível, mas toda mente que contempla o mundo e o julga como certo, sólido, digno de confiança e verdadeiro, acredita em dois criadores ou em um só: ele próprio sozinho. 5Mas nunca em um único Deus.

3. 1As dádivas de Deus não são aceitáveis para ninguém que mantenha essas estranhas crenças. 2Ele não pode deixar de acreditar que aceitar as dádivas de Deus, por mais evidentes que venham a ser, por maior que seja a urgência com que é chamado a reivindicá-las como suas, é ser pressionado à traição de si mesmo. 3Ele tem que negar a sua presença, contradizer a verdade e sofrer para preservar o mundo que fez.

4. 1Aqui está o único lar que ele pensa que conhece. 2Aqui está a única segurança que acredita poder achar. 3Sem o mundo que fez, ele é um proscrito, sem lar e cheio de medo. 4Não reconhece que é aqui que ele é, de fato, cheio de medo e também sem lar; um pária vagando tão longe de casa, há tanto tempo fora que não reconhece que esqueceu-se de onde veio, para onde vai e até mesmo quem realmente é.

5. 1Entretanto, nas suas divagações solitárias e sem sentido, as dádivas de Deus vão com ele, desconhecidas para ele. 2Ele não pode perdê-las. 3Mas não olhará para o que lhe é dado. 4Continua a vagar, ciente da futilidade que vê em toda parte à sua volta, percebendo o quanto a sua pouca sorte definha à medida que avança para ir a lugar nenhum. 5Mesmo assim, continua a vagar na miséria e na pobreza, sozinho embora Deus esteja com ele, com um tesouro tão grande que tudo o que o mundo contém é sem valor diante da sua magnitude.

6. 1Ele parece uma figura lamentável: exaurida, cansada, em farrapos, cujos pés sangram um pouco devido à estrada pedregosa em que caminha. 2Não há ninguém que não tenha se identificado com ele, pois todos aqueles que aqui vêm perseguiram a rota que ele segue e sentiram a derrota e a desesperança como ele as está sentindo. 3Mas, seria ele realmente trágico, quando vês que ele está seguindo o caminho que escolheu e que precisa apenas reconhecer Quem caminha com ele e abrir os seus próprios tesouros para ser livre?

7. 1Esse é o ser que tu escolheste, aquele que fizeste como uma substituição da realidade. 2Esse é o ser que defendes com fúria contra toda razão, toda evidência e todos os testemunhos comprovados que mostram que esse não é o que tu és. 3Tu não lhes dás ouvidos. 4Continuas no caminho designado por ti, com os olhos baixos porque tens medo de captar um vislumbre da verdade, ser liberado do autoengano e posto em liberdade.

8. 1Tu te encolhes medrosamente com receio de sentir o toque de Cristo no teu ombro e perceber a Sua mão gentil dirigindo-te para contemplar as tuas dádivas. 2Como, então, poderias proclamar a tua pobreza no exílio? 3Ele te faria rir dessa percepção de ti mesmo. 4Então, onde estaria a autopiedade? 5E o que aconteceria com toda a tragédia que buscaste trazer àquele a quem Deus só tencionava alegrias?

9. 1O teu antigo medo veio a ti agora e a justiça, enfim, te alcançou. 2A mão de Cristo tocou o teu ombro e sentes que não estás sozinho. 3Pensas até que o ser miserável que acreditaste ser o que tu és, possa não ser a tua Identidade. 4Talvez o Verbo de Deus seja mais verdadeiro do que o teu. 5Talvez as Suas dádivas para contigo sejam reais. 6Talvez Deus não tenha sido totalmente ludibriado pelo teu plano de manter o Seu Filho em profundo esquecimento e seguir o caminho que escolheste sem o teu Ser.

10. 1A Vontade de Deus não se opõe. 2Meramente é. 3Não é a Deus que aprisionaste no teu plano para perder o teu Ser. 4Ele desconhece um plano tão alheio à Sua Vontade. 5Houve uma necessidade que Ele não compreendeu, à qual deu uma Resposta. 6Isso é tudo. 7E tu, que tens essa Resposta que te foi dada, não tens necessidade de mais nada além disso.

11. 1Agora vivemos pois agora não podemos morrer. 2O desejo de morte foi respondido e o olhar que o contemplava foi substituído pela visão que percebe que tu não és o que pretendes ser. 3Alguém anda contigo, Que responde gentilmente a todos os teus medos com esta única réplica misericordiosa: “Isso não é assim”. 4Ele aponta para todas as dádivas que tens toda vez que o pensamento da pobreza te oprime e fala do Seu Companheirismo quando te percebes solitário e amedrontado.

12. 1Entretanto, Ele ainda te lembra de mais uma coisa que havias esquecido. 2Pois o Seu toque fez com que sejas igual a Ele. 3As dádivas que tens, não são só para ti. 4O que Ele veio te dar, agora tu tens que aprender a dar. 5Essa é a lição que a Sua doação contém, pois Ele te salvou da solidão que buscaste fazer para esconder-te de Deus. 6Ele te lembrou de todas as dádivas que Deus te tem dado. 7Ele também fala do que vem a ser a tua vontade quando aceitas essas dádivas e reconheces que são tuas.

13. 1As dádivas são tuas, confiadas aos teus cuidados para dar a todos aqueles que escolheram a estrada solitária da qual escapaste. 2Eles não compreendem que apenas perseguem os seus próprios desejos. 3Agora és tu quem lhes ensina. 4Pois aprendeste com Cristo que há outro caminho para que sigam. 5Ensina a eles, mostrando-lhes a felicidade que vem àqueles que sentem o toque de Cristo e reconhecem as dádivas de Deus. 6Não deixes o pesar tentar-te a ser infiel para com a tua confiança.

14. 1Os teus suspiros passarão agora a trair as esperanças daqueles que olham para ti em busca da sua liberação. 2As tuas lágrimas são as suas. 3Se estás doente, estás apenas recusando-lhes a sua cura. 4Aquilo de que tens medo apenas lhes ensina que seus medos são justificados. 5A tua mão vem a ser aquela que dá o toque de Cristo; a mudança da tua mente vem a ser a prova de que aquele que aceita as dádivas de Deus jamais pode sofrer coisa alguma. 6A função de liberar o mundo da dor te foi confiada.

15. 1Não a traias. 2Passa a ser a prova viva do que o toque de Cristo pode oferecer a todos. 3Deus confiou todas as Suas dádivas a ti. 4Na tua felicidade, sê tu a testemunha de como vem a ser transformada a mente que escolhe aceitar as Suas dádivas e sentir o toque de Cristo. 5Essa é a tua missão agora. 6Pois Deus confia a doação das Suas dádivas a todos aqueles que as receberam. 7Ele compartilhou a Sua alegria contigo. 8E agora vais compartilhá-la com o mundo.