Um Curso
em Milagres

Edição online autorizada
Livro de Exercícios

LIÇÃO 182

Eu me aquietarei por um momento e irei para casa.

1. 1Esse mundo, em que pareces viver, não é a tua casa. 2E em algum lugar da tua mente tens o conhecimento de que isso é verdadeiro. 3A memória de casa continua te perseguindo, como se houvesse um lugar que te chamasse de volta, embora não reconheças a voz e nem o que essa voz te lembra. 4Mesmo assim continuas te sentindo como um estranho aqui, vindo de algum lugar completamente desconhecido. 5Nada tão definido que possas dizer, com certeza, que és um exilado aqui. 6Apenas um sentimento persistente, em alguns momentos pouco mais do que uma diminuta pulsação, em outros vagamente relembrado, ativamente descartado, mas algo que com certeza vai voltar de novo à tua mente.

2. 1Não há ninguém que não saiba do que estamos falando. 2No entanto, alguns tentam deixar de lado os seus sofrimentos em jogos para ocuparem o seu tempo e afastarem a sua tristeza. 3Outros negarão estar tristes e nem reconhecem em absoluto as próprias lágrimas. 4Outros, ainda, insistirão que aquilo de que falamos é ilusão, que não deve ser considerado como nada além de um sonho. 5No entanto, quem, em simples honestidade, sem defensividade e autoengano, negaria que compreende as palavras que estamos proferindo?

3. 1Falamos por cada um que caminha por esse mundo, pois ele não está em casa. 2Vai incerto numa busca sem fim, buscando na escuridão o que não pode achar, sem reconhecer o que é que está buscando. 3Constrói mil casas, mas nenhuma satisfaz a sua mente inquieta. 4Não compreende que está construindo em vão. 5A casa que busca não pode ser feita por ele. 6Não há nenhum substituto para o Céu. 7O inferno foi tudo o que ele jamais fez.

4. 1Talvez penses que é a tua casa de infância que queres achar novamente. 2A infância do teu corpo e aquele lugar que o abrigava é agora uma memória tão distorcida que apenas seguras um retrato de um passado que nunca aconteceu. 3Entretanto, há uma Criança em ti Que busca a casa do Seu Pai e sabe que é uma estranha aqui. 4Essa infância é eterna, com uma inocência que durará para sempre. 5Aonde quer que essa Criança vá, a terra é santa. 6É a Sua Santidade que ilumina o Céu e que traz à terra o puro reflexo da luz do alto, em que a terra e o Céu estão unidos como um só.

5. 1É essa Criança em ti que o teu Pai conhece como o Seu Próprio Filho. 2É essa Criança Que conhece o Seu Pai. 3Ela deseja ir para casa tão profunda e incessantemente, que a Sua voz te implora que A deixes descansar por um momento. 4Não pede mais do que alguns instantes de alívio; apenas um intervalo em que possa voltar a respirar o ar santo que enche a casa do Seu Pai. 5Tu também és a Sua casa. 6Ela voltará. 7Mas dá-Lhe um pouco de tempo para ser Ela Mesma, na paz que é a Sua casa, descansando no silêncio, na paz e no amor.

6. 1Essa Criança precisa da tua proteção. 2Está longe de casa. 3Ela é tão pequenina que parece que pode ser facilmente excluída, Sua vozinha pode ser prontamente abafada, Seu chamado por socorro pode passar quase despercebido em meio aos sons ásperos e ruídos dissonantes do mundo. 4Mas Ela sabe que em ti ainda habita a Sua proteção segura. 5Tu não A decepcionarás. 6Ela irá para casa e tu irás com Ela.

7. 1Essa Criança é a tua ausência de defesas, a tua força. 2Ela confia em ti. 3Veio porque sabia que não falharias. 4Ela te fala baixinho e incessantemente da Sua casa. 5Pois quer levar-te de volta com Ela, para que Ela Própria possa ficar e não retornar mais uma vez aonde não é o Seu lugar e onde vive como um pária num mundo de pensamentos alheios. 6A Sua paciência não tem limites. 7Ela esperará até que ouças a Sua Voz terna dentro de ti, chamando-te para deixá-La ir em paz, junto contigo, ao lugar em que está em casa e tu junto com Ela.

8. 1Quando te aquietas por um instante, quando o mundo se afasta de ti, quando as ideias sem valor cessam de ser valorizadas em tua mente inquieta, então ouvirás a Sua Voz. 2Ela te chama de modo tão tocante que não resistirás mais. 3Naquele instante, Ela te levará para casa e tu ficarás com Ela em perfeita quietude, silêncio e paz, além de todas as palavras, intocado pelo medo e pela dúvida, com a certeza sublime de que estás em casa.

9. 1Descansa com Ela frequentemente hoje. 2Pois Ela se dispôs a tornar-Se uma Criancinha para que pudesses aprender com Ela o quanto é forte aquele que vem sem defesas, oferecendo apenas mensagens de amor àqueles que pensam que ela é o inimigo. 3Ela tem nas Suas mãos o poder do Céu e os chama de amigos e lhes dá a Sua força para que possam ver que quer ser Amiga para com eles. 4Ela lhes pede que A protejam, pois a Sua casa está muito longe e não voltará para lá sozinha.

10. 1Cristo renasce como uma Criancinha a cada vez que um peregrino quer deixar a própria casa. 2Pois ele tem que aprender que aquilo que quer proteger é apenas essa Criança, Que vem sem defesas e Que está protegida pela ausência de defesas. 3Vai para casa com Ela de vez em quando hoje. 4Tu, aqui, és tão estranho quanto Ela.

11. 1Hoje, toma tempo para deixar de lado o teu escudo, que não te traz nenhum proveito, e abaixa a lança e a espada que ergueste contra um inimigo inexistente. 2Cristo te chamou de amigo e irmão. 3Veio até pedir a tua ajuda para deixá-Lo ir para casa hoje, completo e completamente. 4Ele veio como vem uma criancinha, que precisa implorar a proteção e o amor de seu pai. 5Ele domina o universo e, no entanto, te pede incessantemente que volte com Ele e que não tomes mais ilusões por teus deuses.

12. 1Não perdeste a tua inocência. 2É por isso que anseias. 3É esse o desejo do teu coração. 4Essa é a voz que ouves, e esse é o chamado que não pode ser negado. 5A Criança santa permanece contigo. 6A Sua casa é a tua. 7Hoje, Ela te dá a Sua ausência de defesas e tu a aceitas em troca de todos os brinquedos de combate que fizeste. 8E agora o caminho está aberto e o fim da jornada finalmente à vista. 9Aquieta-te por um instante e vai para casa com Ela e, por algum tempo, fica em paz.