Um Curso
em Milagres

Edição online autorizada
Livro de Exercícios

LIÇÃO 185

Quero a paz de Deus.

1. 1Dizer essas palavras não é nada. 2Mas dizê-las com real intenção é tudo. 3Se tu pudesses dizê-las dessa forma por um só instante, não haveria mais nenhuma tristeza possível para ti de maneira alguma, em lugar ou tempo algum. 4O Céu seria completamente devolvido à plena consciência, a memória de Deus inteiramente restaurada e a ressurreição de toda a criação plenamente reconhecida.

2. 1Ninguém pode dizer intencionalmente essas palavras e não ser curado. 2Ele não pode brincar com sonhos nem pensar que ele mesmo é um sonho. 3Não pode fazer um inferno e pensar que é real. 4Quer a paz de Deus e ela lhe é dada. 5Pois isso é tudo o que quer e isso é tudo o que receberá. 6Muitos disseram essas palavras. 7Mas poucos na verdade as disseram com real intenção. 8Basta contemplar o mundo que vês ao teu redor para teres certeza de quão poucos, de fato, são. 9O mundo mudaria completamente se duas pessoas concordassem que essas palavras expressam a única coisa que querem.

3. 1Duas mentes com um só intento tornam-se tão fortes que aquilo que é a sua vontade vem a ser a Vontade de Deus. 2Pois as mentes só podem unir-se na verdade. 3Em sonhos, dois não podem compartilhar o mesmo intento. 4Para cada um o herói do sonho é diferente, o resultado que se quer não é o mesmo para ambos. 5Perdedor e ganhador meramente se revezam em padrões alternados à medida que a relação de ganho para perda e de perda para ganho assume um aspecto diferente ou uma outra forma.

4. 1No entanto, um sonho só pode trazer concessões. 2Às vezes toma a forma de união, mas só a forma. 3O significado necessariamente escapa ao sonho, pois a concessão é a meta dos sonhos. 4As mentes não podem unir-se em sonhos. 5Elas apenas barganham. 6E que barganha pode lhes dar a paz de Deus? 7Ilusões vêm para tomar o Seu lugar. 8E o que Ele significa se perde para mentes adormecidas, empenhadas em concessões, cada uma para o seu próprio benefício ao custo da perda do outro.

5. 1Dizer que tu queres a paz de Deus com real intenção é renunciar a todos os sonhos. 2Pois ninguém que queira ilusões e, portanto, busque os meios que trazem ilusões, pronuncia essas palavras com real intenção. 3Ele as examinou e as achou insuficientes. 4Agora busca ir além, reconhecendo que um outro sonho não ofereceria nada mais do que todos os outros. 5Os sonhos são um só para ele. 6E aprendeu que a única diferença entre eles é a forma, pois cada um trará o mesmo desespero e miséria que o resto.

6. 1A mente que diz com real intenção que tudo o que quer é paz tem que unir-se com outras mentes, pois é assim que se obtém a paz. 2E quando o desejo de paz é genuíno, os meios para achá-la são dados numa forma em que cada mente que a busque com honestidade possa compreender. 3Seja qual for a forma da lição, ela é planejada para cada uma de tal maneira que não possa confundi-la, se o seu pedido for sincero. 4Mas se pedir sem sinceridade, não haverá nenhuma forma em que a lição venha a ser recebida com aceitação e verdadeiramente aprendida.

7. 1Dediquemos hoje a nossa prática ao reconhecimento de que realmente dizemos essas palavras com real intenção. 2Queremos a paz de Deus. 3Esse não é um desejo vão. 4Essas palavras não solicitam que um outro sonho nos seja dado. 5Não pedem concessões nem tentam fazer uma outra barganha na esperança de que ainda possa haver alguma que possa obter êxito onde todo o resto já fracassou. 6Ao dizer essas palavras com real intenção, reconhecemos que as ilusões são vãs e pedimos o eterno no lugar de sonhos inconstantes que parecem mudar naquilo que oferecem, mas que são um só em nulidade.

8. 1Hoje, dedica os teus períodos de prática a uma busca cuidadosa na tua mente para achar os sonhos que ainda aprecias. 2O que pedes no teu coração? 3Esquece as palavras que usas ao fazer os teus pedidos. 4Considera apenas aquilo que acreditas que vá confortar-te e trazer-te felicidade. 5Mas não fiques consternado diante de ilusões remanescentes, pois agora as suas formas não são o que importa. 6Não deixes que alguns sonhos sejam mais aceitáveis, reservando outros à vergonha e ao sigilo. 7Eles são um só. 8E, sendo um, deve-se fazer a todos uma única pergunta: “É isso o que eu quero ter, em lugar do Céu e da paz de Deus?”.

9. 1Essa é a escolha que fazes. 2Não te enganes pensando que é diferente. 3Nenhuma concessão é possível nisso. 4Tu escolhes a paz de Deus ou pedes sonhos. 5E sonhos virão como os pediste. 6Mas a paz de Deus virá com a mesma certeza e para permanecer contigo para sempre. 7Não desaparecerá em cada volta ou curva da estrada, para reaparecer, irreconhecida, em formas que se alteram e mudam com cada passo que dás.

10. 1Queres a paz de Deus. 2E assim querem todos aqueles que parecem buscar sonhos. 3Tanto para eles como para ti mesmo, pedes somente isso quando fazes esse pedido com profunda sinceridade. 4Pois assim alcanças o que eles realmente querem e juntas o teu próprio intento àquilo que buscam acima de todas as coisas, talvez desconhecido para eles, mas certo para ti. 5Algumas vezes foste fraco, incerto em teu propósito, inseguro do que querias, de onde procurar isso e aonde dirigir-te para obter ajuda na tentativa. 6A ajuda te foi dada. 7E não queres usufruir dela compartilhando-a?

11. 1Ninguém que verdadeiramente busque a paz de Deus pode falhar em achá-la. 2Pois meramente pede que não se engane mais, negando a si mesmo aquilo que é a Vontade de Deus. 3Quem pode ficar insatisfeito se pede aquilo que já tem? 4Quem poderia ficar sem resposta se pede uma resposta que já é sua para dar? 5A paz de Deus é tua.

12. 1A paz foi criada para ti, e te foi dada pelo seu Criador e estabelecida como a Sua Própria dádiva eterna. 2Como podes falhar, quando só estás pedindo o que é a Sua Vontade para ti? 3E como poderia o teu pedido limitar-se só a ti? 4Nenhuma dádiva de Deus deixa de ser compartilhada. 5É esse atributo que coloca as dádivas de Deus à parte de cada sonho que algum dia pareceu tomar o lugar da verdade.

13. 1Ninguém pode perder e todos têm que ganhar toda vez que qualquer dádiva de Deus for pedida e recebida por alguém. 2Deus dá só para unir. 3Tirar não tem significado para Ele. 4E quando também não tiver significado para ti, podes ter certeza de que compartilhas uma só Vontade com Ele e Ele contigo. 5E também terás o conhecimento de que compartilhas uma só Vontade com todos os teus irmãos, cujos intentos são teus.

14. 1É esse único intento que buscamos hoje, unindo os nossos desejos às necessidades de cada coração, ao apelo de cada mente, à esperança que está além do desespero, ao amor que o ataque quer ocultar, à irmandade que o ódio buscou apartar, mas que ainda permanece tal como Deus a criou. 2Com uma Ajuda como essa ao nosso lado, podemos hoje falhar ao pedirmos que nos seja dada a paz de Deus?