Um Curso
em Milagres

Edição online autorizada
Livro de Exercícios

LIÇÃO 5

Eu nunca estou transtornado pela razão que imagino.

1. 1Essa ideia, como a precedente, pode ser usada com qualquer pessoa, situação ou evento que no teu pensamento esteja te causando dor. 2Aplica-a especificamente a qualquer coisa que acredites ser a causa do teu transtorno, usando para a descrição do sentimento quaisquer termos que te parecerem exatos. 3O transtorno pode parecer ser medo, preocupação, depressão, ansiedade, raiva, ódio, ciúme ou inúmeras outras formas, das quais todas serão percebidas como diferentes. 4Isso não é verdadeiro. 5Contudo, até aprenderes que a forma não importa, cada uma vem a ser um sujeito apropriado para os exercícios do dia. 6Aplicar a mesma ideia a cada uma delas separadamente é o primeiro passo para reconheceres que, em última instância, todas são a mesma.

2. 1Ao usares a ideia de hoje para algo que percebes como a causa específica de qualquer forma de transtorno, usa tanto o nome da forma na qual vês o transtorno quanto a causa a que tu o atribuis. 2Por exemplo:

3Não estou com raiva de ______ pela razão que imagino.
4Não estou com medo de ______ pela razão que imagino.

3. 1Todavia, mais uma vez, isso não deve substituir os períodos de prática em que primeiro procuras na tua mente as “fontes” do transtorno no qual acreditas e as formas do transtorno que pensas resultarem delas.

4. 1Nestes exercícios, mais do que nos precedentes, podes achar difícil ser indiscriminado e evitar dar a alguns sujeitos maior peso do que a outros. 2Talvez ajude, se precederes os exercícios com a declaração:

3Não há pequenos transtornos. 4Todos eles perturbam do mesmo modo a paz da minha mente.

5. 1Em seguida, examina a tua mente procurando o que quer que seja que esteja te afligindo, independentemente de achares que isso está te afligindo muito ou pouco.

6. 1Também podes estar menos disposto a aplicar a ideia de hoje a algumas das coisas que percebes como fontes de transtorno mais do que a outras. 2Se isso ocorre, pensa primeiro no seguinte:

3Eu não posso guardar esta forma de transtorno e abandonar as outras. 4Assim, para os propósitos destes exercícios, vou considerá-las todas como a mesma.

7. 1Então, investiga a tua mente por não mais de um minuto e tenta identificar algumas formas diferentes de transtorno que estão te perturbando, independentemente da relativa importância que possas lhes dar. 2Aplica a ideia para o dia de hoje a cada uma delas, usando tanto o nome da fonte do transtorno como a percebes, quanto do sentimento como o experimentas. 3Outros exemplos são:

4Eu não estou preocupado com ______ pela razão que imagino.
5Eu não estou deprimido com ______ pela razão que imagino.

6Três ou quatro vezes durante o dia é o suficiente.