Um Curso
em Milagres

Edição online autorizada
Livro de Exercícios

LIÇÃO 160

Estou em casa. O medo é o estranho aqui.

1. 1O medo é um estranho para os caminhos do amor. 2Identifica-te com o medo e serás um estranho para ti mesmo. 3E assim és desconhecido para ti mesmo. 4O que é o teu Ser permanece alheio para aquela parte de ti que pensa que é real, mas diferente de ti mesmo. 5Quem poderia ser são em tal circunstância? 6Quem, senão um louco, poderia acreditar que é o que não é e julgar contra si próprio?

2. 1Existe um estranho em nosso meio, vindo de uma ideia tão estranha à verdade que fala uma língua diferente, olha para um mundo que a verdade desconhece e compreende o que a verdade considera sem sentido. 2Ainda um estranho, ele vem sem reconhecer a quem vem, mas ainda afirma que a sua casa lhe pertence, enquanto aquele que está em casa é agora o estranho. 3No entanto, como seria fácil dizer: “Esta é a minha casa. 4Aqui é o meu lugar e não partirei porque um louco me diz que tenho que ir”.

3. 1Que razão haverá para não dizeres isso? 2Qual poderia ser a razão, exceto que convidaste esse estranho a tomar o teu lugar e permitiste que fosses um estranho para ti mesmo? 3Ninguém se deixaria desapossar tão desnecessariamente, a menos que pensasse que existe outro lar mais adequado ao seu gosto.

4. 1Quem é o estranho? 2É o medo ou és tu que é tão inadequado ao lar que Deus proveu para o Seu Filho? 3Acaso o medo é próprio de Deus, criado à Sua semelhança? 4Acaso é o medo que o amor completa e pelo qual é completado? 5Não há nenhum lar que possa abrigar o amor e o medo. 6Não podem coexistir. 7Se tu és real, então o medo tem que ser uma ilusão. 8E se o medo é real, então tu absolutamente não existes.

5. 1Nesse caso, com que simplicidade a questão é resolvida. 2Aquele que tem medo apenas negou a si mesmo e disse: “Sou o estranho aqui. 3E assim, deixo o meu lar a alguém que se parece mais comigo do que eu mesmo e dou-lhe tudo o que eu pensava me pertencer”. 4Agora ele é exilado por necessidade, sem saber quem é, incerto de todas as coisas exceto disto: de que ele não é ele mesmo e que o seu lar lhe foi negado.

6. 1E agora, o que procura ele? 2O que pode achar? 3Um estranho para si mesmo não pode achar um lar onde quer que o procure, pois ele mesmo fez com que o retorno fosse impossível. 4O seu caminho está perdido, a não ser que um milagre venha buscá-lo e lhe mostre que agora já não é um estranho. 5O milagre virá. 6Pois o seu Ser permanece no seu lar. 7Não convidou nenhum estranho a entrar e não Se tomou por nenhum pensamento alheio. 8E Ele chamará o que é Seu para Si Mesmo em reconhecimento do que Lhe pertence.

7. 1Quem é o estranho? 2Não será aquele por quem o teu Ser não chama? 3És incapaz de reconhecer esse estranho no teu meio agora, pois deste a ele o teu lugar de direito. 4Entretanto o teu Ser tem tanta certeza do que Lhe é próprio, quanto Deus de Seu Filho. 5Ele não pode estar confuso a respeito da criação. 6Tem certeza do que Lhe pertence. 7Nenhum estranho pode ser interposto entre o Seu conhecimento e a realidade de Seu Filho. 8Ele desconhece estranhos. 9Tem certeza acerca do Seu Filho.

8. 1A certeza de Deus é suficiente. 2Aquele Que Ele conhece como o Seu Filho pertence ao lugar no qual Ele O estabeleceu para sempre. 3Ele respondeu a ti que perguntas: “Quem é o estranho?”. 4Ouve a Sua Voz te assegurar, de modo quieto e seguro, que não és um estranho para o teu Pai e nem o teu Criador se fez um estranho para ti. 5Aqueles a quem Deus uniu permanecem para sempre um só, em casa com Ele e não um estranho para Si Mesmo.

9. 1Hoje damos graças por Cristo ter vindo procurar no mundo pelo que Lhe pertence. 2A Sua visão não vê estranhos, mas contempla os Seus e alegremente Se une a eles. 3Eles O veem como um estranho, pois não reconhecem a si mesmos. 4Mas, ao dar-Lhe as boas-vindas, se lembram. 5E Ele os conduz gentilmente de volta ao lar, que é o lugar que lhes é próprio.

10. 1Cristo não esquece ninguém. 2Não falha em te dar nem um só dos teus irmãos para que te lembres, para que o teu lar possa ser completo e perfeito tal como foi estabelecido. 3Ele não te esqueceu. 4Mas tu não te lembrarás de Cristo até olhares para tudo como Ele o faz. 5Todo aquele que nega o seu irmão está negando a Ele e recusando-se, assim, a aceitar a dádiva da vista através da qual vem a salvação, o seu Ser é claramente reconhecido e o seu lar relembrado.