Um Curso
em Milagres

Edição online autorizada
Livro de Exercícios

LIÇÃO 39

A minha santidade é a minha salvação.

1. 1Se a culpa é o inferno, qual é o seu oposto? 2Como o texto para o qual esse livro de exercícios foi escrito, as ideias usadas para os exercícios são muito simples, muito claras e totalmente isentas de ambiguidade. 3Não estamos interessados em proezas intelectuais nem em jogos de lógica. 4Nós estamos lidando apenas com o que é muito óbvio, mas não tem sido visto nas nuvens de complexidade nas quais pensas que pensas.

2. 1Se a culpa é o inferno, qual é o seu oposto? 2Seguramente isso não é difícil. 3A hesitação que podes sentir em responder não se deve à ambiguidade da questão. 4Mas acreditas que a culpa é o inferno? 5Se acreditasses, verias imediatamente o quanto o texto é direto e simples e de modo algum precisarias de um livro de exercícios. 6Ninguém precisa praticar para adquirir o que já é seu.

3. 1Já dissemos que a tua santidade é a salvação do mundo. 2E o que acontece com a tua própria salvação? 3Não podes dar o que não tens. 4Um salvador tem que ser salvo. 5De outra forma, como pode ele ensinar a salvação? 6Os exercícios de hoje se aplicarão a ti, reconhecendo que a tua salvação é crucial para a salvação do mundo. 7À medida que aplicas os exercícios ao teu mundo, o mundo inteiro é beneficiado.

4. 1A tua santidade é a resposta a todas as questões que jamais foram perguntadas, às que estão sendo agora, ou às que serão perguntadas no futuro. 2A tua santidade significa o fim da culpa e, consequentemente, o fim do inferno. 3A tua santidade é a salvação do mundo e a tua própria. 4Como poderias tu, a quem pertence a tua santidade, seres excluído? 5Deus desconhece o que não é santo. 6É possível que Ele desconheça o Seu Filho?

5. 1Cinco minutos completos são recomendados com insistência para os quatro períodos de prática mais longos para o dia de hoje, e sessões de prática mais demoradas e frequentes são encorajadas. 2Se quiseres ultrapassar os requisitos mínimos, recomenda-se um número maior de sessões em vez de sessões mais longas, embora se sugira fazer ambas.

6. 1Começa o período de prática como de costume, repetindo a ideia de hoje para ti mesmo. 2Em seguida, com os olhos fechados, examina os teus pensamentos de desamor, seja qual for a forma em que apareçam: inquietação, depressão, raiva, medo, preocupação, ataque, insegurança e assim por diante. 3Qualquer que seja a forma que assumirem, não são amorosos e, portanto, são amedrontadores. 4Por isso, é deles que precisas ser salvo.

7. 1Situações específicas, eventos ou personalidades que associas com qualquer tipo de pensamentos de desamor são sujeitos adequados para os exercícios de hoje. 2É imperativo para a tua salvação que tu os vejas de modo diferente. 3E é a tua bênção sobre eles que te salvará e te dará visão.

8. 1Lentamente, sem seleção consciente ou ênfase indevida a qualquer um em particular, examina a tua mente buscando todos os pensamentos que se interpõem entre tu e a tua salvação. 2Aplica a ideia para o dia de hoje a cada um deles deste modo:

3Meus pensamentos de desamor em relação a ______ estão me mantendo no inferno. 4A minha santidade é a minha salvação.

9. 1É possível que aches estes períodos de prática mais fáceis se os intercalares com vários períodos curtos, durante os quais apenas repetes lentamente a ideia de hoje para ti mesmo algumas vezes. 2Também podes achar útil incluir alguns intervalos curtos nos quais apenas relaxas e não pareces estar pensando em coisa alguma. 3A concentração constante é muito difícil a princípio. 4Ela virá a ser muito mais fácil à medida que a tua mente se torne mais disciplinada e menos sujeita à distração.

10. 1Enquanto isso, deves sentir-te livre para introduzir variedade nos períodos de exercícios em qualquer forma que te atraia. 2Contudo, ao variar o método de aplicá-la, não mudes a ideia em si. 3Seja como for que escolhas usá-la, a ideia deve ser expressa de modo que o seu significado seja o fato de que a tua santidade é a tua salvação. 4Conclui cada período de prática repetindo a ideia mais uma vez em sua forma original e acrescentando:

5Se a culpa é o inferno, qual é o seu oposto?

11. 1Nas aplicações mais curtas, feitas de três a quatro vezes por hora, ou mais se possível, podes perguntar essa questão a ti mesmo, repetir a ideia de hoje e preferivelmente ambas as coisas. 2Se surgirem tentações, uma forma particularmente útil da ideia é:

3A minha santidade é a minha salvação disto.